Café Antropológico

Filme etnográfico realizado por Alexandre Câmera Vale sobre a experiência migratória de travestis e transexuais brasileiras para Paris. Vencedor do Prêmio de Melhor Pesquisa para Documentário no VI For Raimbow (Fortaleza, 2012). “O Voo da Beleza” que já foi apresentado em Fortaleza, Sobral, São Paulo, Paris, Toulouse e Estrasburgo. Florianópolis fecha a “Agenda Cidades” por onde o filme já passou.

Teaser: http://www.youtube.com/watch?v=QxiNaxalkdU

A exibição será marco para abertura do IV Trans Day – Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades TRANS, organizado pelo NIGS [Núcleo de Identidade Gênero e Subjetividade] que acontece entre os dias 29 e 30 de outubro na UFSC. Confira a programação no site: http://www.trans-day-nigs-2013.com/

Seguido pelo debate com Kelly Vieira, Presidenta da ADEH [Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade]. Organização Não-Governamental que atua no sentido da garantia de direitos, da promoção de saúde e da discussão no campo dos Direitos Humanos e das políticas TLGB (Travestis, Transexuais, Lésbicas, Gays e Bissexuais). Atuando em Florianópolis desde o ano de 1993.

Laura Martendal, estudante de graduação em Serviço Social, pesquisadora do NIGS e ativista pelos direitos Trans.

E Melissa Barbieri, advogada e Coordenadora do NEDDIJ – Núcleo de e Defesa da Infância e Juventude, membro do GEDUS – Laboratório e Grupo de Estudos Educação e Sociedade, coordenando a linha Direito e Sexualidade.

O Café Antropológico é uma realização do [NAVI] Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem – UFSC em parceria com o NIGS [Núcleo de Identidade Gênero e Subjetividade] a Casa Das Maquinas Lagoa e a Cinemateca Catarinense.

************************************************

Café Antropológico Apresenta:

Selecionado pelo júri popular na mostra audiovisual do Fazendo Gênero 10. Mulheres da Terra retrata as sementes crioulas e o feminino da terra na voz de mulheres do Movimento de Mulheres Camponesas do oeste do estado de Santa Catarina.

Trailer

O encontro é promovido pelo [NAVI] Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem – UFSC o [NAF] Núcleo de Pesquisa Sobre Agricultura Familiar e o [NIGS] Núcleo de Identidades Gênero e Subjetividade.

Bate papo com a Professora Maria Ignez Silveira Paulilo. Coordenadora do NAF e titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, gênero, campesinato, Santa Catarina e movimentos sociais rurais.

Também com a diretora do filme Marcia Paraiso. Documentarista que tem se dedicado a realização de filmes com temáticas sociais, ambientais e relacionadas à cultura popular de raiz e questão agrária. No momento está produzindo a série de 13 documentários para a TV Brasil “Visceral Brasil – as veias abertas da música”. Entre os mais recentes trabalhos realizados estão “Vaqueiros Encantados” (filmado no Marajó-PA) e Sem Perder a Ternura (filmado em Abelardo Luz-SC) que estreou no último FAM – Festival do Audiovisual do Mercosul, em Florianópolis – SC.

O [NAF] Núcleo de Pesquisa sobre Agricultura Familiar UFSC/CNPq, coordenado pela professora Dra. Maria Ignez Paulilo, procura estudar em profundidade a agricultura catarinense, sendo que entre seus esforços estão constantes saídas a campo. Durante estas saídas são contatados em grande parte, mas não exclusivamente, agricultores e agricultoras de Santa Catarina e integrantes dos movimentos sociais que reconhecem a importância da agricultura familiar.