Aula 4

AULA 4 – Nacionalismos, luta armada de libertação nacional, partidos pós independência e sua relação conturbada com os movimentos de mulheres, sobretudo os feministas

Apresentação do documentário da Holandesa Ike Bertels Guerrilla Grannies. How to live in this world.

Bibliografia:

ALBERDI, Jokin e BIDAURRATZAGA, Eduardo (coords) DESAROLLO HUMANO LOCAL EN MOZAMBIQUE, Editado por Universidad del Pais Vasco e Hegoa, Bilbao, 2014.

* BRAGANÇA, Aquino de, DEPELCHIN, Jacques, “Da Idealização da FRELIMO à compreensão da História de Moçambique”. In: Estudos Moçambicanos 5/6, 1986, pp. 29-52. Maputo

* CASIMIRO, I., Paz na terra, guerra em casa’. Feminismo e organizações de mulheres em Moçambique. Série Brasil & África, Coleção Pesquisas 1, Editora UFPE, Recife, 2014.

* CASIMIRO, I., “Repensando as relações entre mulher e homem no tempo de Samora”. In: Samora Homem do Povo, Maguezo Editores, Maputo, 2001, pp. 99-107.

* MCFADDEN, Patricia, “Tornando-nos Feministas Africanas Contemporâneas: Histórias femininas, legados e os novos imperativos”. In: Série Diálogo Feminista, 1. Friedrich Ebert Stiftung e Fórum Mulher, Novembro 2016.

Urdang, Stéphanie (1988) And Still They Dance: Women, War and the Struggle for Change in Mozambique. London, Earthcan.

Urdang, Stéphanie (1984) “Women in National Liberation Movements”. In: M. J. Hay and S. Stichter (eds)African Women South of the Sahara. Harlow, Longman.

Urdang, Stéphanie (1983) “The Last Transition? Women and Development in Mozambique”. In: Review of African Political Economy, 27/28, pp. 8-23.

Urdang, Stéphanie (1979) Fighting Two Colonialisms: Women in Guinea-Bissau. Monthly Review Press, New York.

A compreensão da História de Moçambique

Desarrollo Humano Local en Moçambique

PAZ NA TERRA, GUERRA EM CASA

SAMORA e o Género II

TORNANDO NOS FEM AFRICANAS PAT MCFADDEN DEC