“Seo Chico, um retrato”

11/03/2013 15:31

  Historiadora Gabriella Pieroni e o antropólogo Alex Vailati debatem o filme “Seo Chico, um retrato”

O NIGS/UFSC – Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades, NAVI/UFSC – Núcleo de Antropologia Visual e Estudos da Imagem e Casa das Máquinas/FFC convidam para o CAFÉ ANTROPOLÓGICO com exibição do filme “Seo Chico, um retrato”, de José Rafael Mamigonian, seguido de debate com a historiadora Gabriella Pieroni e o antropólogo Alex Vailati.

Dia 18 | 03 – segunda-feira
20 horas
Casa das Máquinas | Lagoa da Conceição
“Seo Chico, um Retrato” mostra a vida do lavrador Francisco Thomaz dos Santos, um personagem vivo da história quase extinta dos engenhos de farinha, de cana-de-açúcar e alambiques na Ilha de Santa Catarina, atual Florianópolis, no litoral sul do Brasil. O filme é um testemunho dos encontros dele com a equipe de filmagem, buscando transparecer ao máximo a intensidade emocional dessa experiência, tragicamente interrompida.

Cinema

05/04/2012 17:38

Curta “Djero encontra Iketut em Bali” é lançado na mostra Docs do Navi

Frame do curta que será apresentado na Lagoa

Frame do curta que será apresentado na Lagoa

O curta-metragem Djero encontra Iketut em Bali, dirigido pelas antropólogas e professoras da UFSC Carmen Rial e Miriam Grossi será lançado, nesta quinta-feira, 5 de abril, às 20 horas, na Praça Bento Silvério, na Lagoa da Conceição. Esta exibição faz parte da programação da Mostra de Documentários do Navi – Núcleo de Antropologia Visual e Estudos da Imagem que acontece, quinzenalmente, na pracinha da Lagoa. A mostra tem parceria com a Casa das Máquinas. As projeções, sempre que o tempo permite, são realizadas na pracinha. Em caso de chuva, são transferidas para o interior da Casa das Máquinas. Ainda serão exibidos, na quinta-feira, os filmes “Os Seres da Mata” e “Trance and Dance in Bali”.

O curta-metragem “Djero encontra Iketut em Bali”, estreante em Florianópolis, mostra o encontro de dois balineses: um jovem, Djero, motorista na Bali turística da costa, e de um velho, Iketut, morador do vilarejo Desa Bayun Gede, local este estudado pela antropóloga norte-americana Margaret Mead e por seu marido, o antropólogo inglês Gregory Bateson, na década de trinta. Esta pesquisa marcou o inicio da antropologia visual contemporânea. Através deste curta, Carmen Rial e Miriam Grossi revisitam as imagens feitas por Mead e Bateson, comparando-as com imagens atuais daquele vilarejo no alto de uma montanha.

(mais…)