Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades
  • NIGS divulga:

    Publicado em 17/10/2018 às 16:12


  • NIGS divulga:

    Publicado em 24/09/2018 às 12:14


  • 5º Seminário do Projeto de Direitos Humanos, Antropologia e Educação

    Publicado em 22/08/2018 às 0:48


  • 4º Seminário do Projeto de Direitos Humanos, Antropologia e Educação

    Publicado em 13/08/2018 às 22:34


  • Resultado Seleção Bolsa PIBIC – Projeto Direitos Humanos, Antropologia e Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidade

    Publicado em 09/08/2018 às 19:11


  • Seleção de bolsista PIBIC – CAPES/SECADI – Edital 02 2018

    Publicado em 06/08/2018 às 23:13

    Projeto “Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidades”

    Este edital se destina a seleção de graduando/a dos Cursos de Antropologia, Ciências Sociais, Museologia ou áreas afins para o atuarem 05 meses (entre agosto e dezembro de 2018), no projeto Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidades, junto ao Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) e Núcleo de Estudos de Populações Indígenas (NEPI) da UFSC.

    1. APRESENTAÇÃO DO PROJETO

    O projeto Direitos Humanos, Antropologia e Educação: análise de experiências de formação em Gênero e Diversidades visa a análise de políticas públicas federais de formação de professoras/es, desenvolvidas nos últimos quinze anos no Brasil nas temáticas de gênero/sexualidade, educação indígena e ações afirmativas. Contemplado pelo edital 038/2017 da CAPES que visa “Estimular e apoiar a formação de recursos humanos por meio da realização de projetos de pesquisa dedicados à temática de Educação em Direitos Humanos & Diversidades, com o propósito de aprofundar as análises acerca das relações, desdobramentos e implicações envolvendo a questão”.

    As pesquisas desenvolvidas pela/os bolsista serão de cunho etnográfico e documental visando:

    a) Analisar o impacto na rede de ensino público de Santa Catarina dos cursos GDE – Gênero e Diversidade na Escola e Licenciatura Indígena desenvolvidos na UFSC;

    b) Estudar o impacto dos projetos PROEXT/MEC desenvolvidos entre 2008 e 2015 na UFSC pelas equipes do NIGS/UFSC e NEPI/UFSC referentes a ações de extensão universitária nos campos de Gênero/Sexualidade e Diversidades Étnico/Raciais, incluindo neste campo, o acompanhamento das políticas de ações afirmativas e diversidades na UFSC;

    c) Estudar o impacto do Programa Nacional Gênero e Ciências (SPM/CNPq) e das atividades desenvolvidas pelo Instituto de Estudos de Gênero IEG/UFSC (curso de curta duração de Gênero e Feminismo, Mundo de Mulheres/Fazendo Gênero) na constituição do campo de estudos feministas e de gênero no Brasil;

    d) Trabalhar com dados levantados pela equipe do NIGS junto à 3ª Conferência Nacional de Políticas para Mulheres e na Pesquisa Avaliação do Prêmio Igualdade de Gênero (2005- 2015).

    2. DO OBJETO GERAL DO PROJETO:

    Possibilitar a/ao bolsista, estudante de graduação, o aprofundamento do conhecimento científico, no que tange à realização de pesquisa documental e etnográfica junto ao projeto, à organização de eventos científicos e ao aprendizado de formas de produção acadêmica para divulgação dos de resultados de pesquisa.

    3. DOS REQUISITOS PARA AS/OS CANDIDATOS(AS):

    Para ser elegível, a/o estudante deverá atender aos seguintes critérios:

    3.1. Ser estudante regularmente matriculado/a nos cursos de Graduação em Antropologia, Ciências Sociais, Museologia ou áreas afins da UFSC.

    3.2. Ter o currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes do CNPq no ano corrente.

    3.3. Dedicar-se por 20 horas semanais às atividades acadêmicas e de pesquisa, sendo o período vespertino da quarta-feira dedicado às reuniões da equipe.

    3.4. Não possuir, durante a vigência da bolsa, vínculo empregatício ou bolsa de outro programa de Iniciação Científica e/ou tecnológica, monitoria ou extensão.

    3.5. Ter bom desempenho acadêmico. Não poderá ser indicado bolsista com IAA inferior a 6,0.

    3.6. Preferencialmente, estar cursando a disciplina Antropologia da Educação e/ou ter cursado disciplinas nas áreas de gênero, relações étnico-raciais e educação.

    3.7. Preferencialmente ter familiaridade com o uso de pacotes Office, com programas de edição de imagens e vídeos, além de experiência na organização de eventos científicos.

    3.8. Caso esteja no último ano do curso, deverá desenvolver projeto de TCC com assunto relacionado às temáticas vinculadas ao projeto da bolsa

    3.9. Possuir conta corrente própria e ativa no Banco do Brasil no momento da entrega do Termo de Outorga. Contas bancárias conjuntas, contas poupança ou contas em outros bancos não serão aceitas, pois impossibilitam o pagamento da bolsa.

    4. INSCRIÇÕES:

    As inscrições deverão ser feitas por via eletrônica através do e-mail do NIGS () até o dia 08 de agosto de 2018 às 12 horas.

    5. DA SELEÇÃO E ENTREVISTA:

    A seleção será realizada em com base na:

    5.1. Análise da documentação listada no Item 6.

    5.2. Entrevista presencial com as/os candidatas/os na quarta feira 08 de agosto de 2018 às 16hs, na sala do NEPI (313, bloco B, CFH).

    OBS. Candidatos/as que não entregarem todos os documentos solicitados no item 6 deste Edital ou que não comparecerem à entrevista serão desclassificados/as.

    6. DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA À ENTREVISTA:

    Durante a entrevista, os/as candidatos/as devem estar munidos dos seguintes documentos impressos:

    6.1. Currículo Lattes atualizado.

    6.2. Histórico escolar do curso de graduação.

    6.3. Questionário em anexo respondido.

    7. DO RESULTADO

    O resultado da seleção será divulgado na página do NIGS/UFSC no dia 09/08/2018 (http://nigs.ufsc.br/). A/o candidata/o selecionado/a em primeiro lugar deverá estar apta/o a fazer imediatamente os encaminhamentos da bolsa junto à CAPES e dar início às atividades em 13/08/2018.

    8. DA BOLSA

    O/a candidato/a selecionado/a receberá bolsa de iniciação científica da CAPES, no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais) por mês, depositada diretamente na sua conta bancária.

    Comissão de Seleção: Antonella Tassinari, Alexandra Alencar e Edilma Monteiro.

     

    ANEXO

    Projeto “Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em

    Gênero e Diversidades”

     Questionário  referente ao Edital 02  de Seleção de Bolsista PIBIC- CAPES a ser entregue no momento da entrevista juntamente com o Histórico Escolar e Currículo Lattes

    NIGS – NEPI – CFH – UFSC

    1) Nome:

    2) Curso:

    3) Fase:

    4) Interesses de Pesquisa:

    5) Experiências em outros núcleos como bolsista ou voluntário:

    6) Disponibilidade de horários para atuar como bolsista no projeto:

    7) Faça uma breve pesquisa online sobre os projetos abaixo e apresente questões que despertaram seu interesse ou chamaram sua atenção para cada um dos tópicos

    listados abaixo (no máximo 4 linhas cada):

    a) Cursos de aperfeiçoamento e especialização GDE – Gênero e Diversidade na

    Escola.

    b) Projeto de Extensão Proex/Nigs “Projeto Papo Sério”.

    c) Políticas da Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) da UFSC.

    d) Projetos de extensão Proex/NEPI “Ações Afirmativas UFSC”.

    e) Licenciatura Indígena na UFSC.

    9) Apresente um argumento de um parágrafo sobre a importância desse tipo de iniciativa

    dentro das escolas e universidades brasileiras.


  • Atenção Feministas de Floripa!

    Publicado em 01/08/2018 às 7:27

    Acontece hoje, 31 de julho, às 19h no auditório do EFI a Roda de Conversa “Pré-candidatas feministas de Santa Catarina”. O encontro é um pré-evento do Intercongresso Fazendo Gênero – 6ª Edição do Seminário Gênero e Feminismo do IEG/UFSC. Confirme sua presença no evento e compartilhe nosso cartaz, vamos chamar nossas amigas para dialogar sobre as políticas feministas que queremos!

    Link para o evento:

    https://www.facebook.com/events/579817632413953/?active_tab=about

     

    Abraços

     

     


  • NIGS convida para o curso “Tópicos Especiais: Género, Educación, masculinidades, diversidad familiar y sexual”

    Publicado em 25/07/2018 às 16:03
    O NIGS convida para o curso de 1 crédito do professor José Ignacio Pichardo Galan (Universidad Complutense de Madrid) que será ministrado em parceria com a Profa Miriam Grossi na semana de 6 a 10 de agosto de 2018, através do  PPGICH/UFSC.

    Tópicos Especiais: Género, Educación, masculinidades, diversidad familiar y sexual.  Profa. Miriam Grossi e, José Ignacio Pichardo Galán – 1 crédito –  06 a 10 de agosto de 2018, sempre no período da tarde.

    Aula 1 Segunda feira 6 de agosto – 14 às 18hs
    Aula 2 Terça 7 de agosto – 14 às 18hs
    Aula 3 Quinta 9 de agosto – 14 às 18hs
    Aula 4 Sexta  10 de agosto – 14 às 18hs

    Ementa das aulas

    Aula 1.Bases teóricas del sistema sexo género: de la teoría de género a la teoría queer.

    En este tema se realizará un repaso de las distintas aproximaciones que se han realizado teóricamente para explicar las diferencias entre hombres y mujeres. Partiendo de una propuesta construccionista, se pondrán en cuestión las explicaciones que reducen, en último extremo, las diferencias entre los sexos a una cuestión biológica. Desde ese punto de partida y teniendo en cuenta las aportaciones que la Antropología Social y Cultural ha realizado a la teoría feminista y a los estudios de género, se abordará el sistema sexo-género como un constructo cultural que como tal ha de ser problematizado. Se cerrará este tema introductorio estudiando las críticas que la llamada teoría queer ha incorporado al concepto de género, así como las potencialidades y riesgos de esta corriente en sus distintas vertientes teóricas y activistas.

    Aula 2

    a) Género, sexualidad y familia.

    Al hablar de sexo no podemos limitarnos a la diferencia entre hombres y mujeres, sino que tenemos que introducir la sexualidad en este análisis. Se pretende aquí repasar el modo en que la sexualidad escapa así también de concepciones que la reducen a una realidad meramente biológica para dar cuenta de su carácter histórica y culturalmente construida. Si la reproducción biológica y social se encuentra en el centro del sistema sexo-género, este no se puede entender sin poner el foco en la intersección entre género, sexualidad y familia. Así, junto a la división de género, el sistema se basa en la heteronormatividad y el control del cuerpo de las mujeres. La familia juega un papel central en el mantenimiento del orden social y sexual. La tradición antropológica del estudio de la sexualidad y la familia desde sus teorías clásicas y contemporáneas del parentesco aparece como una atalaya privilegiada al articular una reflexión sobre el modo en que se van entretejiendo las concepciones hegemónicas sobre la familia, la sexualidad y la crianza de los hijos e hijas.

     b). Homoparentalidad y familias arcoíris.

    Los cambios culturales que tanto a nivel de relaciones de género entre hombres y mujeres como en las articulaciones de distintas estructuras familiares han posibilitado, en último extremo, el reconocimiento de las relaciones sexuales y afectivas entre personas del mismo sexo y de las familias que conforman. En este tema nos acercaremos en primer lugar a la especificidad de las llamadas “familias arcoíris”, es decir, aquellas formadas por personas lesbianas, gays, bisexuales y transexuales. Se realizará aquí un recorrido por el proceso que ha llevado legalización de estas familias en España, estableciendo un paralelismo con lo ocurrido en Argentina.

    Aula 3. Masculinidades.

    Para el mantenimiento del sistema sexo-género se hace necesaria la construcción de un determinado tipo de masculinidad que se convierte en hegemónica a través de los procesos de socialización y que se mantiene gracias a determinados instrumentos sociales que revisaremos en este tema. Para ello, repasaremos diferentes estudios y enfoques sobre masculinidades que nos permitirán ir reconocimiento diversos tipos de masculinidades así como las alternativas que se presentan a las mismas y su diálogo con el feminismo. Junto a los beneficios que produce el formar parte de la población beneficiaria de los réditos del patriarcado, se escudriñarán los daños colaterales de la masculinidad.

    Aula 4. Violência y Education

    a)Desde la homofobia y la transfobia hasta la atención a la diversidad sexual y familiar en contextos educativos.

    Comenzaremos este tema definiendo la homofobia y la transfobia, analizando las distintas formas en que aparece y su especificidad. Esta especificidad hace que aún se haga vigente en forma de acoso en diferentes contextos escolares. Partiendo de esas premisas, analizaremos la presencia de la diversidad familiar y sexual en los centros educativos y su invisibilización. El tema concluirá mostrando algunas propuestas y herramientas para abordar el respeto a la diversidad sexual en escuelas e institutos de educación secundaria.

    b) Questiones de género y education


  • NIGS divulga | Lançamento de Livros

    Publicado em 13/07/2018 às 13:46


  • 2º Seminário do Projeto de Direitos Humanos, Antropologia e Educação

    Publicado em 08/06/2018 às 10:52

    2º Seminário do Projeto de Direitos Humanos, Antropologia e Educação


  • Café PsicoAntropológico apresenta “Mães do Pina”

    Publicado em 23/05/2018 às 8:09

         Mais uma edição do Café (Psico) Antropológico será realizada nesta sexta-feira, 25 de maio, a partir das 19h, no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC), prédio A. Para participar, basta se dirigir até o local, não é necessária a inscrição. O encontro terá como proposta a exibição do filme Mães do Pina, dirigido por Léo Falcão e produzido pela Urso Filmes, em 2015. O documentário realizado no bairro de Pina, em Recife (PE), conta a história de diversas mulheres que mantêm a cultura local viva com seus trabalhos sociais, eventos musicais e manifestações religiosas. E para enriquecer ainda mais essa exibição inédita em Floripa, teremos a presença de uma das entrevistas do filme Mestra Joana D’Arc.

         Mestra Joana D’Arc é mestra da Nação de Maracatu Encanto do Pina, única mestra de maracatu-nação em Pernambuco. É yakekerê do Ilê Axé Oxum Deym, coordenadora da ala show dos abês da Nação de Maracatu Porto Rico e coordenadora nacional do Movimento Baque Mulher. Ela estará na cidade de 24 a 27 de maio  partilhando do seu conhecimento num encontro que promete ser pra lá de especial. Tal iniciativa foi possível graças à parceria entre o Maracatu Arrasta Ilha e o Baque Mulher Floripa junto à organização do Café (Psico) Antropológico.

    Café (Psico) Antropológico é uma realização do Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI), do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS), ambos vinculados ao Departamento de Antropologia; e do Núcleo de Pesquisa em Práticas Sociais (NUPRA), do Departamento de Psicologia.

    Abaixo segue o link do teaser do filme pra já dar água na boca e colocar a data na agenda!

     


  • Video ao vivo do evento “Cura ou não cura? II”

    Publicado em 21/05/2018 às 11:02

    Pequeno trecho do evento “Cura ou não cura? II” com Professora Miriam Grossi e Naomi Neri. O evento foi realizado dias 17 e 18 de maio pela Coordenadoria de Diversidade Sexual e Enfrentamento da Violência de Gênero (CDGEN) vinculada à Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD/UFSC).

     


  • NIGS divulga 7ª sessão Cidades Rebeldes

    Publicado em 17/05/2018 às 11:57

    Nesta sexta-feira, dia 18 de maio, acontecerá mais uma sessão do Ciclo de Cinema Cidades Rebeldes, coordenado pelo professor Paulo Raposo.

    A sessão contará com a presença especial de nossas queridas professoras Miriam Grossi e Carmem Rial. O filme a ser exibido é uma “etnoficção” realizada pelo Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA-USP).

    Estão todxs convidadxs!

     


  • 1º Seminário do Projeto de Direitos Humanos, Antropologia e Educação

    Publicado em 04/05/2018 às 1:26


  • Resultado Seleção Bolsa PIBIC

    Publicado em 25/04/2018 às 15:49

    Informamos à comunidade acadêmica as duas pessoas selecionadas para as bolsas de Iniciação Científica referente ao Projeto: “Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidades”:

    Giovanna Barros Gomes
    Larissa Mattos da Fonseca

    Gostaríamos de agradecer a presença e o interesse de todxs participantes.

     

     

     

     


  • Edital Seleção de Bolsista PIBIC | CAPES – PRORROGADO

    Publicado em 18/04/2018 às 14:00

    Este edital se destina a seleção de 02 bolsistas dos curso de Graduação de Antropologia Ciências Sociais e/ou Museologia para o atuarem por 08 meses (maio a dezembro de 2018), no projeto “Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidades”, junto aos Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) e Núcleo de Estudos de Populações Indígenas (NEPI) da UFSC. 

    As inscrições deverão ser feitas por via eletrônica através do e-mail do NIGS () até o dia 24 de abril de 2018 (limite de inscrição 23:59) ou presencialmente, no dia 25 de abril de 2018, às 13h, na sala da Profa Miriam Grossi (sala 103 departamento de antropologia prédio D – CFH), munido de toda a documentação indicada no Item 5, de forma impressa, para entrevista.

    acesse aqui: Edital seleção de Bolsista PBIC – RETIFICADO


  • NIGS divulga o Ciclo de Cinema “Cidades Rebeldes”

    Publicado em 16/04/2018 às 10:08

    O Ciclo de Cinema “Cidades Rebeldes” é um projeto integrado ao curso “Direito à cidade, espaço público e performance” do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFSC,  é coordenado pelo professor Paulo Raposo do Instituto Universitário de Lisboa.

    As exibições são abertas ao público, estão todxs convidadxs!

    A próxima sessão acontecerá na próxima sexta-feira, dia 20 de Abril: 

    Sessão 3 – 18.30h-21h (UFSC, Sala 110 CFH)
    Resistências e recuperações do patrimônio urbano
    EnLaRed, Guillermo Cruz e Santiago Cirugeda (2010, Estado Espanhol, 52’39” versão em espanhol)
    El proyecto de construcción de una red social, que inspira el guión del documental “ENLARED”, parte de una ocasión excepcional de recuperación y re-uso de un patrimonio mobiliario público; contenedores de viviendas, cedidos por la Sociedad Municipal de rehabilitación urbana del Ayuntamiento de Zaragoza. 
    comentários de Alicia Castells (antropóloga, UFSC) + Rodrigo Gonçalves (arquiteto e urbanista, UFSC) 

    Para maiores informações acesse:

    Site do projeto

    Página no Facebook


  • Resultado de Seleção – Bolsa Café Psico-antropológico

    Publicado em 10/04/2018 às 9:12


  • Seleção Bolsa Cultura UFSC | Graduação

    Publicado em 03/04/2018 às 17:32

    Estamos selecionando 1 bolsista para o projeto de extensão Café PsicoAntropológico

    Data da seleção: 06/04/2018 – sexta-feira

    Horário das entrevistas: 14h30

    Local: Espaço Pedagógico 1 – Departamento de Psicologia – CFH | UFSC

     

    O Café PsicoAntropológico objetiva:

    – Promover mostra de documentários seguidas de debates sobre temáticas atuais, de relevância social.

    – Contribuir para a difusão da produção audiovisual de pesquisadores da UFSC e convidados.

    – Estimular o debate e a reflexão, seja acadêmica, seja ao nível de extensão, sobre a produção documental contemporânea.

    – Estender para outras IES da cidade as sessões de Café PsicoAntropológico, visando ampliar o escopo e o alcance das discussões.

    – Consolidar a parceria entre os núcleos de pesquisa do CFH | UFSC: NUPRA, NIGS e NAVI.

     

    Serão considerados como critérios de seleção do/a bolsista, os seguintes requisitos:

    1) Estar regularmente matriculado/a nos cursos de graduação de psicologia, antropologia ou ciências sociais da UFSC,  com bom desempenho acadêmico  (trazer histórico escolar).

    2) Não receber outra bolsa de qualquer natureza ou que tenham vínculo empregatício.

    3) Ter disponibilidade de 20 horas semanais – em diferentes turnos e horários – para dedicação ao projeto (trazer quadro horário de disciplinas e horários disponíveis para atuar no projeto).

    4) Se comprometer a atuar nas atividades do projeto que ocorrerão no 18th IUAES World Congress de 16 a 20 de julho de 2018 na UFSC.

    5) Ter experiência (de preferência comprovada através de certificados e/ou comprovante de atuação em núcleos de pesquisa e/ou outros projetos) e conhecimento técnico de design gráfico para a confecção de materiais de divulgação, em diferentes meios: cartazes impressos e online, criação de eventos em mídias sociais, divulgação nas páginas na internet dos núcleos, do CFH e da UFSC.

    6) Ter experiência no uso de equipamentos de sonorização e projeção para a exibição de filmes documentários, bem como com equipamentos de filmagens para o registro em video das atividades do projeto.


  • Reunião Coordenadores de Projeto/MEC/Capes – Edital EDH & Diversidades

    Publicado em 13/03/2018 às 11:14

    Informamos que no dia 12 de abril, das 14h às 17h, a Profa. Miriam Grossi Coordenadora do Projeto: “Direitos Humanos, Antropologia, Educação: experiências de formação em Gênero e Diversidades” aprovado no edital: nº 38/2017 participará da Reunião de Coordenadores de Projeto/MEC/Capes.