NOTA de REPÚDIO à VIOLÊNCIA HOMOFÓBICA

30/12/2011 18:30

JUSTIÇA para antropólogo Cleides Amorim

A equipe do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades vem a público manifestar sua indignação e tristeza pela morte covarde do antropólogo e professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT) Cleides Antônio Amorim. O professor de Antropologia foi assassinado na última quarta-feira (4) com uma facada no peito.

Amorim foi vítima de um homofóbico, pois, antes de agredir Amorim, o assassino Gilberto Afonso de Sousa teria deixado claro que não gostava de homossexuais. O professor morreu na hora e Sousa está foragido. Amorim tinha 42 anos e era coordenador do curso de Ciências Sociais da UFT. Era graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Maranhão (1996) e mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001).

O NIGS repudia todo e qualquer crime de homofobia, lesbofobia e transfobia. Pede que as autoridades brasileiras tomem as devidas providências para investigar o crime e punir os responsáveis. Somos a favor de denunciar casos de violência motivados pela intolerância e esperamos da Secretaria Especial de Direitos Humanos, ligada à Presidência da República, da Polícia Civil e da Justiça uma resposta rápida e eficaz para que a justiça prevaleça. É urgente que novas e eficazes ações de prevenção à violência homofóbica sejam tomadas. Atos dessa ordem não podem se tornar corriqueiros.

Por Justiça e contra a homofobia!
http://apebnigs.paginas.ufsc.br/
Journée d’Etudes APEB-NIGS: Recherches LGBT au Brèsil et en France: impacts théoriques et politiques – Vendredi 10 Février 2012

Facebook Twitter

3 comentários

    li class="comment even thread-even depth-1" id="comment-1">

    Olá, isto é um comentário.
    Para excluir um comentário, faça o login e veja os comentários dos posts. Lá você vai ter a opção de editá-los ou excluí-los.